Chanceler de Honduras diz que decisão do retorno à OEA sai nesta semana

País foi suspenso do órgão americano depois do golpe de Estado de junho de 2009

Efe

19 de julho de 2010 | 16h18

TEGUCIGALPA - O chanceler de Honduras, Mario Canahuati, disse nesta segunda-feira, 19, que nesta semana deve definir o retorno de seu país à Organização dos Estados Americanos (OEA), da qual foi suspenso em julho de 2009, após o golpe de Estado ao então presidente Manuel Zelaya.

 

Canahuati acrescentou que a reunião de líderes deixará "possivelmente uma ideia muito mais clara" sobre o retorno de Honduras à OEA. Ele ainda confirmou que nos últimos dias conversou com alguns chanceleres de países "que ainda estão em dúvida" se apoiam ou não a Tegucigalpa, dos quais espera "uma resposta favorável".

 

No final, o que anda buscando, ressaltou, "é que Honduras retorne à OEA por unanimidade, ou seja, que os 33 países aprovem o documento que vai ser apresentado por parte da OEA e no final tenhamos uma resposta propícia dos 33 países".

 

A OEA nomeou em junho uma comissão especial para analisar "a evolução da situação" em Honduras, do que dependerá o retorno do país centro-americano ao seio do organismo continental.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasOEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.