Chanceleres de Colômbia e Venezuela se reúnem por comissões no dia 20

Acordo firmado entre os países prevê criação de equipes para assuntos econômicos e diplomáticos

Efe

11 de agosto de 2010 | 12h16

BOGOTÁ - Os chanceleres da Colômbia, María Ángela Holguín, e da Venezuela, Nicolás Maduro, se reunirão no próximo dia 20 em Caracas para estabelecer as cinco comissões bilaterais cuja criação foi anunciada na terça junto da retomada das relações diplomáticas deste países, disse nesta quarta-feira, 11, a ministra colombiana.

 

Veja também:

linkChávez e Santos retomam relações diplomáticas e comerciais

mais imagens Galeria: provas mostradas pela Colômbia na OEA

lista Histórico de tensões entre os dois países 

 

Segundo María Ángela, a reunião com Maduro servirá para discutir como as comissões vão funcionar e quem vai integrá-las.

 

A criação de tais comissões está dentro do acordo firmado na terça pelos presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, e da Venezuela, Hugo Chávez, que decidiram restabelecer os laços diplomáticos e comerciais de seus países, rompidos desde o dia 22 de julho.

 

Segundo uma declaração emitida ao término do encontro em Santa Marta, na Venezuela, os países sul-americanos decidiram "progredir em benefício de ambos" e criaram cinco comissões bilaterais.

 

As cinco equipes trabalharão sobre os seguintes temas: pagamento de dívidas e relançamento das relações comerciais; acordo de complementação econômica; inversão social na zona fronteiriça; desenvolvimento conjunto de infraestruturas; e proteção e segurança das fronteiras.

 

"Estou contente, foi uma boa reunião, diferenças foram discutidas com franqueza, mas também é certo que temos muito trabalho a fazer", disse a chanceler colombiana, acrescentando que ainda é cedo para "cantar vitória". Segundo ela, a partir de agora é preciso trabalhar a relações bilaterais baseando-se no "respeito mútuo para construir algo sem insultos ou ofensas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.