Chávez acusa EUA e Colômbia de complô para assassiná-lo

O presidente venezuelano, Hugo Chávez,aumentou a tensão com a Colômbia na quarta-feira, ao acusar opaís e seus aliados norte-americanos de conspirar paraassassiná-lo, num momento em que os dois países mantêm umadisputa por causa da guerrilha que atua na Colômbia. O governo colombiano respondeu exigindo respeito de Cháveze pedindo que pare seus ataques verbais ao governo dopresidente Alvaro Uribe, que é o aliado mais próximo dosEstados Unidos na América do Sul. "Em Bogotá existem autoridades norte-americanas e militarescolombianos conspirando contra a Venezuela, conspirando para mematar, conspirando para iniciar um conflito armado entre aColômbia e a Venezuela", disse Chávez durante visita àNicarágua. Por várias vezes, Chávez acusou os EUA de conspirarem paramatá-lo, o que Washington nega. O líder venezuelano disse agoraque autoridades colombianos estão cooperando com essesesforços. O presidente venezuelano conseguiu a libertação na semanapassada de duas reféns mantidas pelas Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc), que decidiu libertá-las emdesagravo a Chávez, após ele ter seu papel de mediador entre aguerrilha e o governo colombiano suspenso por Uribe. "O governo colombiano pede ao presidente venezuelano, HugoChávez, que pare as agressões contra nosso país", disse oministro colombiano das Relações Exteriores, Fernando Araujo."O governo colombiano insiste que, por canais diplomáticos,pode haver diálogo." (Por Ivan Castro em Manágua e Patrick Markey em Bogotá)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.