Mariana Bazzo/Reuters
Mariana Bazzo/Reuters

Chávez acusa rivais de sabotarem rede elétrica da Venezuela

De acordo com presidente, isso seria parte de um plano muito mais abrangente para derrubá-lo

Agência Estado,

22 de fevereiro de 2010 | 12h16

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, acusou seus adversários de sabotar a rede de fornecimento de energia elétrica do país, o que explicaria a crise energética pela qual a nação bolivariana passa. Segundo ele, isso é parte de um plano mais amplo para derrubar o governo, segundo programa transmitido no domingo, 21, pela imprensa estatal.

 

Chávez disse que as autoridades devem estar em alerta e impedir qualquer corte de cabos de eletricidade. Esse tipo de sabotagem causou apagões em algumas regiões e piorou os efeitos da crise pela forte escassez de energia, afirmou o líder. "É preciso estar mais atento, fazer mais patrulhas para capturar sabotadores, porque é preciso agarrar os responsáveis e mantê-los presos", afirmou Chávez, durante seu programa semanal de rádio e televisão "Alô, Presidente".

 

"Eles pensam que assim vão derrubar Chávez e estão tentando isso, mas se houver um colapso elétrico não é Chávez que vai cair. Preparem-se burgueses, porque são vocês os que vão cair", disse o presidente em tom ameaçador aos seus adversários.

 

Sem evidências

 

O presidente, entretanto, não forneceu qualquer prova para respaldar suas acusações. O ministro da Energia, Alí Rodríguez, disse que "não duvida" de que boa parte das falhas sejam fruto de "sabotagem" e afirmou que o governo investiga o problema.

 

Líderes da oposição rechaçaram as afirmações. "O presidente é um grande manipulador e usa a mentira para enganar o povo", afirmou o político oposicionista Juan José Molina, por telefone. "É sua própria incapacidade que vai derrubá-lo. Nós queremos tirá-lo pelo voto", completou.

 

Chávez decretou uma emergência elétrica mais cedo neste mês, anunciando que seu governo de esquerda castigará as empresas que utilizem energia considerada excessiva pelo governo. Pelo plano do governo, as grandes companhias devem reduzir em 20% o consumo de eletricidade ou sofrerão sanções, incluindo multas.As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.