Chávez ameaça nacionalizar bancos que descumprirem a lei

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou neste domingo nacionalizar qualquer banco ou até todo o sistema financeiro se seus dirigentes insistirem em descumprir a legislação local e usarem as instituições para benefício pessoal.

REUTERS

29 Novembro 2009 | 16h56

O líder venezuelano pediu que as autoridades judiciais condenem os responsáveis pelas irregularidades que resultaram na intervenção do governo este mês em quatro bancos pequenos.

"Digo isto a todos os banqueiros privados do país: aquele que cometer deslizes, perde; qualquer que seja o tamanho do banco, vou retirá-lo daquele que cometer deslizes. Nada me importa", afirmou Chávez durante seu programa semanal de televisão, "Alô, Presidente".

Além disso, ele acrescentou que poderá estatizar todo o sistema, se necessário. "Querem que nacionalize os bancos? Bom, não tenho problema com isso", declarou.

As autoridades do setor financeiro intervieram este mês nos bancos Confederado, Canarias, Provivienda (Banpro) e Bolívar Banco, pertencentes ao empresário Ricardo Fernández, vinculado ao governo.

Chávez disse que 16 dirigentes dos bancos sob intervenção, proibidos de sair do país, deveriam em vez disso ter sido presos, já que existe o risco de que fujam.

Entre os delitos, cujas penas vão de oito a 10 anos de prisão, figuram aumento de capital sem especificação da origem dos fundos, descumprimento recorrente das carteiras de crédito obrigatórias, declarações de dividendos sem autorização e realização de operações com empresas vinculadas.

O governo de Chávez concluiu este ano a nacionalização do Banco de Venezuela, propriedade do espanhol Santander.

(Por Fabián Andrés Cambero)

Mais conteúdo sobre:
VENEZUELA CHAVEZ BANCOS NACIONALIZACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.