Chávez ameaça tomar medidas contra EUA e UE

O governante venezuelano se referiu mais concretamente à lei migratória aprovada pela UE

EFE,

20 de julho de 2008 | 02h38

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou, neste domingo, na Nicarágua, tomar medidas contra os Estados Unidos e a União Européia (UE) por suas ações contra a imigração ilegal. O governante venezuelano se referiu mais concretamente à lei migratória aprovada pela UE. "Nós poderíamos fazer uma lei para que os capitais das empresas européias e norte-americanas retornem a seus países", advertiu Chávez, afirmando que "empresas desses países querem investir no petróleo da Venezuela". Chávez acrescentou que, em sua viagem por Espanha e Portugal, aproveitará para discutir a lei com as autoridades desses países. "Exigimos à Europa, aos Estados Unidos e ao mundo que respeitem nosso povo, e os direitos humanos dos imigrantes", disse o governante venezuelano. Chávez apelou à unidade da América Latina "para exigir aos Governos ricos do mundo que respeitem os povos do continente". A lei aprovada pela União Européia prevê a expulsão de menores de idade e o encarceramento em centros especiais de imigrantes ilegais por até um ano e meio. Entre outras medidas, a lei européia - que entrará em vigor em 2010 - estabelece que os imigrantes em condição irregular, incluídos os menores de idade, podem ser detidos por até seis meses, prorrogáveis por mais 12, enquanto se tramita sua expulsão da Europa, para onde não poderão voltar por cinco anos.

Tudo o que sabemos sobre:
imigraçãochávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.