Chávez antecipa veto à declaração final da Cúpula das Américas

Aliados do venezuelano se reúnem nesta 5ª para coordenar propostas para encontro em Trinidad e Tobago

Ansa e Associated Press,

16 de abril de 2009 | 14h18

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, antecipou nesta quinta-feira, 16, que seu governo não concorda e vetará a declaração preliminar da 5ª Cúpula das Américas, que começará nesta sexta em Trinidad e Tobago. "A Venezuela veta essa declaração agora mesmo, a partir de agora (...). Nós, junto a outros países, dizemos que não estamos de acordo com essa declaração", disse Chávez, antes de iniciar a reunião da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba). Chávez se reúne nesta terça-feira nesta cidade com vários líderes aliados da América Latina e do Caribe, para coordenar e unificar conceitos e propostas para o encontro em Trinidad e Tobago.

 

Segundo versões da imprensa local, a "Declaração de Compromisso de Port of Spain", já aprovada em Washington, advoga pela promoção dos direitos humanos, prosperidade, segurança energética e sustentabilidade na região. "Há uma declaração que é difícil de assimilar", disse Chávez. "Está totalmente deslocada no tempo e no espaço, como se o tempo não tivesse passado", falou a jornalistas no aeroporto de Cumaná, cidade 300 quilômetros a leste de Caracas.

 

 

Segundo ele, os enunciados da declaração são "muito parecidos" aos da última Cúpula das Américas, de Quebec (Canadá), em 2001, no qual a Venezuela apresentou reservas sobre o conteúdo do documento firmado, considerando-o neoliberal.

 

Após receber o presidente cubano, Raúl Castro, no aeroporto, Chávez ratificou também que levará a questão de Cuba às discussões e pedirá que este país participe do encontro. "Onde está Cuba? Esta será a primeira pergunta", afirmou.

 

O presidente venezuelano, que chegou pela manhã ao local da 7ª Cúpula da Alba, falou também sobre suas expectativas para o encontro que terá nesta quinta, que visa alinhar uma posição comum entre os países-membros da Alternativa para o encontro de Trinidad e Tobago, do qual também participará o presidente norte-americano, Barack Obama. "Temos uma grande perspectiva em relação a esta reunião, que é de suma importância para nosso povo", afirmou Chávez.

 

A Alba é formada por Bolívia, Dominica, Honduras, Nicarágua, Venezuela e Cuba. O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, também participará da reunião como convidado.

Tudo o que sabemos sobre:
Cúpula das AméricasVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.