Chávez anuncia alta de 30% do salário mínimo na Venezuela

Presidente venezuelano ressalta que valor é 2,6 vezes mais que a média da América Latina

Efe,

01 de maio de 2008 | 01h35

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou na quarta-feira, 30, que a partir desta quinta, Dia do Trabalho, o salário mínimo será de 799 bolívares (US$ 372), uma alta de 30% em relação ao atual, porcentagem que também servirá como base de reajuste para todos os assalariados. "Este é o salário mínimo mais alto da América Latina", afirmou o governante, que destacou que a média na região é de US$ 212.   O governante destacou que deve se somar a esse valor uma bonificação obrigatória de US$ 186 mensais que serve para comprar alimentos. Ou seja, a renda mínima passará a ser agora de US$ 558, "2,6 vezes mais que a média da América Latina", ressaltou o governante em um pronunciamento de rádio e televisão em comemoração ao Dia do Trabalho.   Chávez anunciou ainda que todos os funcionários públicos receberão um aumento de 30% em seus salários, e destacou que o mesmo deve acontecer com os trabalhadores do setor privado. O líder também disse que seu governo lançará em breve uma emissão de bônus com papéis do Estado para que sejam captados pelos trabalhadores, como uma forma de diminuir a liquidez do sistema monetário, combater o consumismo, encorajar a poupança e lutar contra a inflação.   A Venezuela registrou em fevereiro uma taxa de desemprego de 7,6%, contra 10,2% de janeiro, informou este mês o ministro do Planejamento, Haiman El Troudi, que previu que no final de 2008 será de 5% ou 5,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaHugo Chávezsalário mínimo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.