Chávez brinca com Lula e o chama de 'xeque do Amazonas'

Presidente venezuelano se referiu a descoberta de grandes reservas petrolíferas no País

Efe,

10 de dezembro de 2007 | 01h18

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, brincou hoje com seu colega Luiz Inácio Lula da Silva, ao afirmar que o governante brasileiro "tem muito dinheiro" e é "o xeque do Amazonas", graças à descoberta de reservas petrolíferas "gigantescas". Veja também: Lula diz que Evo é a cara da Bolívia Banco do Sul é 'decisivo' para integração, diz Lula Vázquez falta à cerimônia de criação do Banco do Sul Mantega: Banco do Sul será lançado em 2008 Chávez fez estes comentários durante a assinatura da ata de fundação do Banco do Sul, em Buenos Aires. Em seu discurso, o governante venezuelano ressaltou os bilhões de dólares que os bancos centrais dos países sul-americanos têm e que em sua opinião deveriam ser voltados para a nova entidade regional. Após calcular que as reservas monetárias do Brasil chegam a cerca de US$ 200 bilhões, brincou que Lula "tem muito dinheiro", o que o presidente brasileiro respondeu com um sorriso. Chávez destacou que o Brasil "acaba de encontrar reservas petrolíferas gigantescas" graças à Petrobras, que "investiu muito" na busca por novas jazidas de hidrocarbonetos. Lula "é o xeque do Amazonas", assinalou Chávez, antes de lamentar que o afundamento "de uma plataforma" de prospecção no mar fez com que a Petrobras sofresse "um atraso de 10 anos" na busca por novas jazidas. O presidente da Venezuela, que tem as maiores reservas de hidrocarbonetos da América do Sul, defendeu ainda a "integração energética" da região. Chávez concordou com seu colega do Equador, Rafael Correa, em que é preciso repatriar "o dinheiro que é dos povos" sul-americanos, em referência aos fundos públicos colocados "nos bancos do norte". O Banco do Sul "era impensável há dez anos" e "faz parte do conjunto de idéias de independência" que a região "tinha há 200 anos", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaHugo ChávezBanco do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.