Chávez chora pela liberdade perdida de andar pela Venezuela

Enfrentando seu desafio eleitoral mais duro, o presidente socialista Hugo Chávez chorou em um discurso de campanha no sábado, lamentando ter perdido a liberdade de vagar anonimamente pelas cidades e pelo interior da Venezuela.

Reuters

16 de setembro de 2012 | 10h51

O revolucionário de 58 anos, que combateu o câncer no ano passado, é conhecido por fazer longos discursos durante os quais costuma cantar e divagar sobre anedotas populares que o aproximaram de parte da população pobre do país.

Mas o lamento de sua liberdade perdida durante seus 14 anos no poder pegou de surpresa a plateia de partidários durante um comício na cidade de San Fernando, no sudoeste do país, menos de um mês antes das eleições de 7 de outubro.

"Se fosse por mim, vocês sabem que eu desceria deste palco e sairia em caminhada, como no passado", disse ele, a voz embargada e lágrimas rolando pelo rosto.

"Meu último sonho é me libertar... libertar-me de tudo isso, mas só depois de termos tornado o país que sonhamos realidade", disse Chávez, em meio a fortes aplausos.

Ele enfrenta nas urnas Henrique Capriles, de 40 anos, que promete uma postura mais amigável aos negócios se for eleito para dirigir o país, membro da Opep.

(Reportagem de Deisy Buitrago e Enrique Pretel)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACHAVEZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.