Chávez convida desabrigados por chuva a ficar no palácio presidencial

Região noroeste da Venezuela sofre com temporais há dias; milhares deixaram suas casas

Reuters

29 de novembro de 2010 | 12h41

CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, convidou 25 famílias desabrigadas nas recentes chuvas torrenciais no país para ficarem temporariamente no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas.

 

Mais de dez pessoas morreram e milhares foram obrigadas a deixar suas casas depois de semanas de fortes chuvas que causaram inundações e deslizamentos.

 

Chávez, que é criticado por não fornecer mais moradias durante seus 11 anos no governo, mas atribui o problema aos governos anteriores, disse que abriria o espaçoso palácio no centro de Caracas para algumas vítimas.

 

Funcionários do setor de segurança cederiam parte de suas dependências e ele ofereceria também um de seus escritórios, disse Chávez na noite de domingo.

"Os funcionários da segurança têm uma cozinha enorme que poderia ser usada por cerca de 20 famílias", disse Chávez na televisão estatal. "Eu tenho três escritórios, o segundo pode ser transformado em três pequenos apartamentos. Eles vão começar a se mudar para lá", disse. 

Seguindo o exemplo do presidente, autoridades da Assembleia Nacional disseram que o espaço do Parlamento também poderia ser usado temporariamente como abrigo pelas vítimas das chuvas.

Simpatizantes elogiam Chávez como o primeiro líder da Venezuela a se importar com os pobres. Mas os críticos dizem que ele é um populista buscando votos com medidas propagandísticas que não abordam os verdadeiros problemas do país.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaChávezCaracaschuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.