Chávez diz que Ingrid pediu a ele luta pela paz na Colômbia

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez,disse nesta quarta-feira que a ex-refém Ingrid Betancourt pediua ele ajuda para impulsionar as negociações com as Farc paraalcançar a paz na Colômbia. O resgate de Betancourt, numa operação em que também foramlibertados três norte-americanos e 11 militares e policiaiscolombianos, foi um êxito da estratégia militar do presidenteÁlvaro Uribe em sua luta contra a guerrilha, ante as tesesnegociadoras defendidas por Chávez. "Ela me pedia que seguíssemos lutando, agora na coordenaçãocom ela", disse Chávez, cujas negociações com as Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia tiveram como resultado a liberaçãounilateral de vários sequestrados no começo do ano. O Exército colombiano resgatou na semana passada os refénsem uma operação de infiltração na guerrilha em que não houvetroca de tiros, em um duro golpe imposto às Farc. "Contamos com ela para continuar... para não só conseguir alibertação de todas as pessoas que estão nas mãos daguerrilha... mas também o acordo humanitário", acrescentou opresidente, antes de participar de um evento com militares. As relações entre Venezuela e Colômbia ficaram tensas apartir de novembro do ano passado, quando Uribe retirou Chávezde um processo de mediação com a guerrilha para conseguir umacordo que permitiria a troca de reféns, entre eles Betancourt,por rebeldes presos. As diferenças entre Uribe e Chávez se acentuaram em 2008, ea crise teve seu ponto mais tenso em março, quando a Venezuelamandou tropas a fronteira depois de a Colômbia ter atacado umacampamento das Farc em território equatorianos Entretanto, analistas acreditam que os dois presidentessuavizarão suas posições em uma reunião bilateral, sexta-feira,na Venezuela, onde retomaram temas como a cooperação política eeconômica, após meses de insultos e acusações mútuas. (Por Enrique Andrés Pretel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.