Efe/Palácio de Miraflores
Efe/Palácio de Miraflores

Chávez diz que posição do governo espanhol é 'aceitável'

Presidente aceitou esclarecimento de que Espanha pediu explicações, e não informações sobre caso ETA-FARC

Efe,

05 de março de 2010 | 21h51

O presidente venezuelano Hugo Chávez considerou nesta sexta-feira, 5, "aceitável" a posição do governo da Espanha após os conflitos em torno do caso aberto por um juiz espanhol sobre uma suposta relação ETA-FARC e Venezuela.

 

Veja também:

linkEspanha exige que Venezuela respeite sua justiça

linkParódia coloca Lula, Chávez e mais presidentes em ilha deserta

 

"A resposta foi aceitável. Disseram que não pediram explicações, e sim informações", disse Chávez. "As coisas voltaram a seu curso normal", acrescentou o líder em uma intervenção durante um ato com simpatizantes em um bairro de Caracas.

 

O chanceler espanhol Miguel Ángel Moratinos fez esse esclarecimento depois que, na quarta-feira, Chávez afirmou que não tem "nada" a explicar a Zapatero sobre a denúncia do juiz da Audiência Nacional espanhola Eloy Velasco sobre a suposta cooperação de Caracas com uma aliança entre a ETA e as Farc.

 

No último dia 1º, o juiz Velasco processou seis supostos membros da ETA e sete supostos integrantes das Farc por terem selado uma aliança para realizar atentados na Espanha contra altos funcionários da Colômbia, como o presidente Álvaro Uribe. Além disso, o magistrado assegura que há indícios da "cooperação" do Governo da Venezuela na suposta aliança estabelecida entre a ETA e as Farc para cometer atentados contra altos funcionários colombianos em solo espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.