Chávez diz que tentará contato com as Farc em prol de reféns

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez,disse na quarta-feira que tentará estabelecer contato com asFarc, a pedido do governo francês, para pedir a libertação deum grupo de reféns. Chávez disse também que seu relacionamentocom Bogotá continua complicado. As relações entre Chávez e o presidente da Colômbia, ÁlvaroUribe, entraram em crise no ano passado, quando Uribe acusou ocolega de interferência nos assuntos internos e o afastou dastarefas de mediação com a guerrilha para conseguir a libertaçãodos reféns. "Eu disse a Sarkozy [Nicolas Sarkozy, presidente da França]agora mesmo que continuaremos tentando fazer contato com asFarc para tratar de refazer o caminho da libertação, o acordohumanitário e a paz na Colômbia, isso é o que nós queremos",disse o presidente durante cerimônia com o primeiro-ministro dePortugal, José Sócrates. "Apesar de tudo [da má relação com Uribe], conte, Sarkozy,que vou tratar de continuar fazendo o possível para libertarnão só Ingrid Betancourt como também todas as pessoas que estãoem mãos das Farc na selva colombiana", disse ele em referênciaà ex-candidata a presidente da Colômbia, também cidadãfrancesa, seqüestrada desde 2002. O primeiro-ministro da França, François Fillon, disse horasantes que levará o tema de Betancourt à cúpula desta semanaentre União Européia e América Latina e Caribe, que ocorrerá emLima. As Farc pretendem trocar cerca de 50 reféns por mais de 500guerrilheiros presos. Mas desde março, quando uma ação militarcolombiana no Equador matou o dirigente rebelde Raúl Reyes, asnegociações estão totalmente rompidas. Chávez e a senadora colombiana Piedad Córdoba foramessenciais nas negociações que levaram à libertação de seispolíticos em duas levas, em janeiro e fevereiro. Em ambos oscasos, o presidente venezuelano organizou missões humanitáriaspara receber os reféns. (Por Patricia Rondón Espín)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.