Chávez diz que tentará de novo reforma constitucional

Presidente venezuelano afirma que, se reeleito, reapresentará mudanças que foram vetadas em referendo

Efe,

10 de dezembro de 2008 | 18h59

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou nesta quarta-feira, 10 que, caso realmente consiga a reeleição para o período entre 2013 e 2019, voltará a apresentar a ampla reforma constitucional que foi rejeitada em referendo há um ano. "A reforma vai para depois de 2012, agora lutamos por uma simples emenda" à Carta Magna para permitir a reeleição presidencial indefinida, disse em um ato militar transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão. Veja também:Chávez diz que povo decidirá sua permanência no poderBriga por reeleição ilimitada marca 10 anos de Chávez no poder Após lembrar que em vários países da Europa os governantes podem se apresentar como candidatos quantas vezes desejarem, condenou que seus opositores critiquem seu empenho para que na Venezuela isso também seja possível.  "Ah, então, isso é válido para a Europa e os daqui não criticam, porque não é criticável", disse o chefe de Estado, que urgiu "os que querem que este soldado tenha a opção de seguir à frente do governo a votar a favor da emenda." O presidente venezuelano desqualificou os que sustentam, entre eles vários professores universitários, que a reeleição contínua, incluída na ampla reforma votada no ano passado, não pode voltar a ser submetida à consideração dos eleitores durante um mesmo período presidencial, embora seja apresentada como uma simples emenda.

Tudo o que sabemos sobre:
Hugo ChávezVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.