Chávez irá bombardear nuvens para acabar com a onda de seca

O presidente venezuelano Hugo Chávez disse que se juntará a uma equipe de cientistas cubanos em vôos para "bombardear as nuvens" para gerar chuva em meio a uma seca que criou irritação pública devido ao racionamento de água e energia.

REUTERS

15 Novembro 2009 | 14h50

Chávez, que pediu aos venezuelanos que tomem banhos de três minutos para economizar água, disse que os cubanos chegaram à Venezuela e se preparavam para voar com aeronaves especialmente equipadas sobre o rio Orinoco.

"Vou subir no avião, qualquer nuvem que apareça na minha frente, irei bombardeá-la para que chova", disse Chávez em cerimônia no final de sábado.

Muitos países possuem programas que visam alterar os padrões climáticos, comumente conhecidos como semeação de nuvens, apesar da eficácia dessas técnicas não ser um consenso.

Disparar iodo prateado nas nuvens é um método comum. A China usa de foguetes carregados com a substância para gerar chuvas em regiões áridas. Chávez não disse qual tecnologia será usada pelos cubanos.

A Venezuela tem sofrido com a escassez de água e eletricidade este mês depois de uma seca causada pelo fenômeno El Niño, que deixou o nível de água em patamar crítico em diversos reservatórios do país rico em petróleo.

A Venezuela gera grande parte de sua eletricidade de projetos hidrelétricos, incluindo da gigante represa de El Guri, perto do rio Orinoco.

(Reportagem de Frank Jack Daniel)

Mais conteúdo sobre:
CHAVEZ CHUVA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.