Chávez não tem que intervir em política colombiana, diz Botero

No México, artista plástico afirma ainda ter simpatia pelos governos da Bolívia e da Argentina

Efe,

31 de janeiro de 2008 | 02h09

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, "não tem o que fazer na Colômbia, não tem razão para intervir na política colombiana", afirmou hoje no México o artista plástico colombiano Fernando Botero. Veja também:Seis comandantes das Farc são condenados a 40 anos de prisãoUribe diz que vai libertar reféns sem afetar segurança do país  O artista esteve na cidade de Monterrey, no norte do país, para inaugurar uma exposição que traz suas obras sobre as torturas na prisão iraquiana de Abu Ghraib e também para descerrar uma nova escultura. "Tenho muita simpatia pelos Governos da Bolívia e da Argentina, mas não pelo de Chávez", disse Botero em entrevista coletiva. O pintor comentou que a Colômbia tem um Governo e um Congresso escolhidos democraticamente, por isso, disse, não há razão alguma para que qualquer presidente, "inclusive o da França", venha dar ordens aos colombianos. "Isso não pode acontecer. Muito menos sendo Hugo Chávez" a pessoa por trás dessas ingerências, enfatizou o artista. Como colombiano, Botero disse que deseja que os reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) sejam libertados o mais rápido possível. "É doloroso ver como gente muito humilde está em cativeiro", afirmou. "Tomara que soltem logo essa gente, após um acordo que liberte os guerrilheiros e os reféns", acrescentou Botero.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiaVenezuelaFernando Botero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.