Chávez nomeia grupo de 'guardiãs' da revolução e do presidente

A 10 dias das eleições legislativas, presidente quer que mulheres zelem pela vitória do PSUV

eatadão.com.br,

16 de setembro de 2010 | 18h12

Chávez participa de evento de seu partido em Caracas

 

CARACAS- O presidente venezuelano Hugo Chávez criou nesta quinta-feira, 16, um grupo de mulheres chamado "as guardiãs de Chávez", que terá como missão velar pela revolução bolivariana e pela permanência do presidente no poder, informa a agência de notícias AFP.

 

Veja também:

linkChávez diz que acredita em vitória de Dilma

 

"Chávez é igual a revolução socialista, isso é o que têm de guardar. Vocês tem que ser guardiãs disso, guardiãs minhas, minhas de verdade, tantas mulheres não vão poder ser", disse Chávez durante o ato de nomeação transmitido pela TV estatal.

 

"Vocês, minhas queridas amigas, tem que estar de guarda pelo socialismo, de guarda pela revolução, pela gestão do governo revolucionário. Vigilantes, vigilantes! O grito a tempo de uma guardiã pode salvar a pátria", acrescentou.

 

Segundo o presidente, o grupo de mulheres deve estar alerta "ao inimigo externo" e também ao que está dentro "das próprias filas da revolução", para advertir sobre as possíveis falhas dos programas oficiais.

 

Chávez também pediu que as mulheres "não dessem descanso a sua alma" até garantirem a vitória nas eleições legislativas de 26 de setembro e, depois, a "vitória histórica e definitiva" da revolução.

 

No fim do mês, os venezuelanos irão escolher uma nova Assembleia Nacional, eleições cruciais para a oposição, que representam seu regresso ao Parlamento após boicotarem o pleito de 2005.

 

Chávez precisa de ao menos dois terços de deputados de seu partido para avançar com seu projeto de revolução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.