Chávez pode jurar cargo após 10 de janeiro, diz Corte Suprema

A presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela, Luisa Estella Morales, disse nesta quarta-feira que o adiamento da posse de Hugo Chávez para o mandato de 2013 a 2019 é constitucional.

Reuters

09 de janeiro de 2013 | 15h22

Morales disse que não é necessário o juramento em 10 de janeiro e que tanto o presidente Chávez como o vice-presidente Nicolás Maduro continuam em suas funções, já que existe uma continuidade do mandato além de 10 de janeiro.

"O poder executivo, constituído pelo presidente, o vice-presidente, os ministros e demais órgãos e funcionários da administração, continuará exercendo plenamente suas funções com fundamento no princípio da continuidade administrativa", disse Morales, acompanhada de vários magistrados da sala constitucional.

(Reportagem de Eyanir Chinea)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAJUSTICADECISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.