Chávez pode vigiar empresas espanholas após crise diplomática

Presidente venezuelano ameaça analisar relações entre os dois países e aumentar controle de multinacionais

Reuters,

14 de novembro de 2007 | 16h36

 O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse nesta quarta-feira, 14, que está analisando profundamente as relações da Venezuela com a Espanha, aumentado a tensão entre os dois países após o rei espanhol ter mandado ele se calar. Chávez advertiu ainda que as atividades de todas as empresa espanholas instaladas no país serão vigiadas.  Veja também:Oposição diz que conselho eleitoral venezuelano favorece 'Sim' Ex-premiê espanhol evita falar do caso Chávez Chávez diz que rei deveria pedir desculpas O chefe de governo da Venezuela, que está em campanha para um referendo que ocorre em poucas semanas, passou a exigir um pedido de desculpas e até ameaçar a nacionalização de empresas com capital espanhol.  "Estou conduzindo uma detalhada revisão das relações políticas, diplomáticas e econômicas com a Espanha", afirmou Chávez em uma entrevista a uma canal de TV regional, que foi transmitida para todo o país por um canal estatal. "Isso significa que as empresas espanholas terão que prestar mais contas. Irei dar uma boa olhada e ver o que está se passando aqui, com essas empresas." A Espanha, uma grande investidora na Venezuela e no restante da América Latina, tem procurado aliviar as tensões através de canais diplomáticos e diz querer que as relações voltem ao normal.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaChávezEspanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.