Chávez prevê possível 'revolução violenta' em Honduras

Venezuelano diz que agressão contra Honduras "é agressão contra todos os povos deste continente"

Efe,

29 de junho de 2009 | 01h48

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, advertiu nesta segunda-feira na Nicarágua que haverá uma "revolução violenta" em Honduras se os militares dispararem contra o povo que protesta a favor do presidente Manuel Zelaya, destituído pelo Parlamento.

 

Veja também:

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

linkExilado por golpe, presidente de Honduras nega ter renunciado

linkCongresso de Honduras nomeia novo presidente após golpe de Estado

 

"Que os militares de Honduras não arremetam com suas armas contra o povo desarmado, porque estariam abrindo o caminho para revoluções violentas", disse o governante venezuelano.

 

Chávez reafirmou que a agressão contra Honduras "é a agressão contra todos os povos deste continente", e fez um apelo às "burguesias destas terras", às quais acusou de perder capacidade de raciocinar, a não romper as regras da democracia.

 

"Se as oligarquias deste continente rompem as regras do jogo, de  maneira tal como o fizeram neste dia (em Honduras), os povos terão o direito à resistência e ao combate", avisou.

"Essa é uma advertência para as oligarquias deste continente", sustentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasgolpe de EstadoChávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.