Chávez propõe retirar reservas em dólares que estão nos EUA

O presidente venezuelano, Hugo Chávez,pediu no sábado a seus aliados, durante a fundação do Banco daAlba, retirar as reservas em dólares que estão depositadas nosbancos "dos países do norte", frente a uma eventual criseeconômica nos Estados Unidos. Na cúpula da Alternativa Bolivariana para os Povos daAmérica (Alba) em Caracas, os presidentes da Bolívia, EvoMorales; da Nicarágua, Daniel Ortega; o vice-presidente deCuba, Carlos Lage, e o presidente venezuelano deram luz verde àinstituição financeira com um capital inicial de 1 bilhão dedólares e com um capital autorizado de 2 bilhões de dólares. "Uma vez criadas essas instituições como o Banco da Alba,uma vez consolidada uma primeira etapa, deveríamos começar atrazer reservas para cá, deveríamos começar a trazerprogressivamente nossas reservas ou parte delas", disse Chávez. O banco da Alba é uma alternativa financeira impulsionadapor Chávez frente às instituições mutilaterais como o FundoMonetário Internacional e o Banco Mundial. "As nossas reservas estão nos países do norte e sãomilhares de milhões de dólares", completou Chávez, que emseguida recebeu o apoio de Ortega. A proposta de criar um banco para financiar projetos deinfra-estrutura, sociais e desenvolver um mercado interno foilançada em junho de 2007, durante a primeira reunião doConselho de Ministro do grupo, em Caracas. O ministro venezuelano da Fazenda, Rafael Isea, afirmou queo banco, cuja sede fica em Caracas, deverá estar totalmentecomposto em dois meses. A Alba foi lançada em 2004 por Chávez e Fidel Castro contraa "maldição do capitalismo" e como uma alternativa à Área deLivre Comércio das Américas, promovida pelo Governo dos EUA. (Por Deisy Buitrago)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.