Chávez recebe Uribe e pede para reatar relação com Colômbia

Presidentes venezuelano e colombiano tentam reconciliação diplomática após crise sobre as Farc

Efe e Ansa,

11 de julho de 2008 | 14h37

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez um apelo nesta sexta-feira, 11, para "retomar o caminho" e "reativar as relações" com a Colômbia minutos antes de receber o presidente colombiano, Álvaro Uribe. Chávez fez as declarações à imprensa antes de cumprimentar Uribe, com quem trocou um aperto de mãos mão formal, sem efusividade, em um gesto que ambos repetiram para a foto oficial.  Veja também:Farc acusam carcereiros de permitirem fuga de refénsHugo Chávez e Álvaro Uribe buscam reconciliação Mapa da influência de Chávez na AL   O encontro aconteceu na entrada do Centro de Refino de Paraguaná, 500 quilômetros ao oeste de Caracas, onde está previsto que os dois governantes se encontrem. "No fundo da minha alma, o que há com a Colômbia é afeto, é amor e é compromisso de irmandade verdadeira", disse Chávez, apesar de ter advertido de que o restabelecimento das relações "depende de muitas coisas". "Há um potencial muito grande para a união de nossos povos, de nossas economias", afirmou o presidente venezuelano como antecipação à entrevista coletiva conjunta que dará com o governante colombiano nesta tarde. Uribe e Chávez percorreram o complexo petroquímico de Paraguaná, considerado o maior do mundo, onde esperavam trabalhadores da Petróleos de Venezuela S/A (PDVSA) para recebê-los. Em seguida, ambos deram início a uma reunião privada.  Esta será a primeira reunião depois oito meses, quando Uribe suspendeu a mediação de Chávez junto às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pela troca de reféns em poder da guerrilha. O conflito se agravou quando Bogotá lançou um ataque militar no Equador, em 1º de março, contra um acampamento das Farc, e Chávez militarizou a fronteira em uma medida que classificou como "defensiva", como prevenção caso as autoridades de Bogotá tentassem invadir o território venezuelano, segundo afirmou na ocasião.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.