Gaston Brito/Reuters
Gaston Brito/Reuters

Chávez rechaça 'cubanização' das Forças Armadas venezuelanas

Ex-general havia afirmado que cubanos estão em posições estratégicas do Exército venezuelano

25 de abril de 2010 | 22h32

Associated Press

 

CARACAS- O presidente venezuelano Hugo Chávez minimizou neste domingo, 25, as afirmações de um ex-general de que a presença cubana nas Forças Armadas venezuelanas está crescendo, e o acusou de se juntar a uma campanha oposicionista que tenta mostrar seu governo como peão de Fidel Castro.

 

Veja também:

linkChávez fala em 'guerra' ao comentar eleição colombiana

 

Chávez criticou o ex-general de brigado Antonio Rivero depois que o oficial reformado denunciou o que chamou de participação generalizada de tropas cubanas nas forças militares da Venezuela.

 

O governante defendeu a cooperação cada vez mãos próxima de seu governo com as autoridades comunistas de Havana.

 

"Qual 'cubanização'? Aqui os cubanos não estão ajudando", afirmou Chávez em seu programa dominical de rádio e televisão Alô presidente. "Nos disseram como armazenar as bússolas, como reparar os rádios dos tanques e como se deve armazenar a munição".

 

O líder não respondeu às acusações de Rivero de que agora os cubanos estão treinando tropas, inclusive participando de cursos para franco-atiradores, e desempenham um papel nas áreas de inteligência, armas, comunicações e outras estratégicas.

 

Há tempos os líderes da oposição acusam Chávez de permitir que assessores e agentes cubanos exerçam postos cruciais no governo e nas Forças Armadas venezuelanas, e alguns críticos afirmam que assessores cubanos trabalham em instituições do Estado. No entanto, não foram apresentadas provas concretas para essas acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.