Chávez: 'socorro a bancos nos EUA ofusca minha nacionalizações

O presidente socialista Hugo Chávezdisse na sexta-feira que o seu programa de nacionalização daeconomia venezuelana é tímido perto dos 900 bilhões de dólaresque podem ser gastos pelo governo dos EUA para salvarinstituições financeiras em apuros. Ironizando a crise norte-americana, ele chamou o candidatorepublicano à Casa Branca, John McCain, de "camarada", e oelogiou por agora defender mais fiscalização sobre o setorfinanceiro. Chávez disse que a crise, a pior desde a Grande Depressão,representa a derrocada do capitalismo neoliberal, demonstrandoque o seu "Socialismo do Século 21" é o caminho a seguir. Nos últimos anos, Chávez nacionalizou várias empresas deenergia, telecomunicações e infra-estrutura, gastando com issocerca de 12 bilhões de dólares, advindos do petróleo. Para evitar uma quebra generalizada do sistema financeiro,os EUA neste mês assumiram o controle das instituiçõeshipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac a um custo de 200 bilhõesde dólares. "Fui criticado, especialmente nos Estados Unidos, pornacionalizar uma grande companhia, a CANTV [telecomunicações],que não custou nem 1,5 bilhão de dólares", disse Chávez numacerimônia onde havia representantes da empresa norte-americanade petróleo Chevron. "Os Estados Unidos gastaram 900 bilhões de dólares, quatrovezes o que a Venezuela produz num ano, para tentar fortalecero combalido sistema financeiro e o mercado imobiliário",comparou. As primeiras intervenções dos EUA não bastaram para contera crise. Nesta semana, o centenário banco Lehman Brothersfaliu, o governo nacionalizou a seguradora AIG, e o bancoMerrill Lynch foi vendido ao Bank of America. Assim, na sexta-feira, o governo norte-americano divulgouum pacote que prevê gastos de centenas de bilhões de dólaresdos cofres públicos para comprar títulos podres e ajudar asinstituições. O mercado reagiu positivamente. Chávez disse, brincando, que esses papéis sempre estiverampodres, e talvez agora rendam alguns centavos pela reciclagem. A imprensa diz que a própria Venezuela tem até 300 milhõesde dólares em títulos ligados ao Lehman Brothers. Comentando uma frase de McCain, que comparou os mercadosfinanceiros a cassinos, Chávez se referiu ao republicano como"camarada", sem se importar com o fato de que o senador já ochamou de ditador. "Felizmente, no nosso caso, começamos há quase uma décadaum processo que vocês poderiam chamar de nos desacoplar desteperverso sistema de cassino, como chama o camarada McCain",afirmou o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.