Ariana Cubillos/Arquivo/AP
Ariana Cubillos/Arquivo/AP

Chávez sofre insuficiência respiratória, diz governo venezuelano

O líder bolivariano tem uma infecção pulmonar 'grave', em mais uma complicação após a cirurgia em Cuba

estadão.com.br,

04 de janeiro de 2013 | 07h12

(Texto atualizado às 18h40) CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sofre de insuficiência respiratória como consequência da infecção pulmonar "grave" que o atingiu, afirmou na quinta-feira o governo venezuelano. O líder bolivariano passa por uma nova complicação depois da operação a que foi submetido há três semanas, em Cuba, para tratar um câncer que ameaça tirá-lo do poder.

Chávez, de 58 anos, não tem sido visto ou ouvido em público desde que viajou para Cuba para a operação e tem enfrentado vários problemas pós-operatórios derivados de uma hemorragia já controlada e nos pulmões, que estão sendo tratados.

"Depois da delicada cirurgia em 11 de dezembro, o comandante Chávez tem enfrentado complicações como consequência de uma grave infecção pulmonar", disse o ministro da Comunicação, Ernesto Villegas, lendo um comunicado oficial no palácio do governo, em Caracas, na noite de quinta-feira.

"Esta infecção derivou em uma insuficiência respiratória que requer do comandante Chávez um severo cumprimento do tratamento médico", acrescentou o ministro, que pediu para que os venezuelanos não deem importância para rumores infundados.

Hora antes, o vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, indicado por Chávez como seu potencial sucessor antes de passar pela quarta operação em 18 meses, assegurou que o presidente lutava por sua saúde "com força e energia de sempre".

A delicada situação de Chávez tem levantado dúvidas sobre sua capacidade em assumir o governo, como está previsto para 10 de janeiro, em um novo mandato conquistado em eleições realizadas em outubro. O câncer

Chávez descobriu que sofria de um câncer pélvico em 2011, mas os detalhes da doença e do tratamento nunca foram divulgados. O presidente passou por quatro cirurgias em um ano e meio, sendo que a última ocorreu mês passado.

O líder bolivariano chegou a dizer, em 2011, que estava livre do câncer após ser tratado, mas em dezembro de 2012 anunciou que "células malignas" haviam retornado e ele precisaria de mais uma intervenção cirúrgica.

Esta última cirurgia durou seis horas. Após o procedimento, Chávez sofreu uma hemorragia e agora apresenta uma infecção pulmonar.

Guerra psicológica

Durante o pronunciamento de quinta-feira, Villegas afirmou que os venezuelanos devem ter cuidado com a "guerra psicológica" sobre a saúde de Chávez. "O governo da República Bolivariana da Venezuela adverte o povo venezuelano sobre a guerra psicológica que redes de mídia desataram sobre a saúde do chefe de Estado, com o único intuito de desestabilizar a República Bolivariana da Venezuela, ignorar a vontade popular expressada nas eleições presidenciais do último 7 de outubro e acabar com a Revolução Bolivariana liderada por Chávez."

Ouça, em espanhol, o pronunciamento feito por Villegas:

Com informações da Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.