Chávez: status político para rebeldes mudaria luta na Colômbia

O presidente venezuelano, Hugo Chávez,insistiu neste domingo que a Colômbia deve conceder status deinsurgentes com projetos políticos aos grupos rebeldes dessepaís, ao indicar que a medida mudaria os métodos de luta. O presidente, que obteve uma vitória ao conseguir alibertação unilateral de duas políticas sequestradas pelasForças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), disse nãoestar preocupado com as críticas à sua proposta e reiterou quea Colômbia deveria analisá-la. Chávez sustenta que os grupos rebeldes da Colômbia nãodevem ser considerados organizações terroristas. "Presidente (da Colômbia, Alvaro) Uribe, se reconhece asFarc em estado de beligerância, por exemplo, e as Farc aceitamisso, as Farc entrariam de imediato nos protocolos de Genebra,não poderiam utilizar o sequestro, por exemplo", disse Chávezem seu programa semanal "Alô, Presidente". Chávez explicou que a "guerra civil" estaria regulamentadapelos protocolos de Genebra, o que obrigaria as Farc e oExército de Libertação Nacional (ELN) a renunciar "aos atosterroristas contra a população civil". As Convenções de Genebra tentam regulamentar o DireitoHumanitário Internacional. A Colômbia rejeitou na sexta-feira a solicitação de Chávez,argumentando que os grupos utilizam "métodos de extermínio dahumanidade". As Farc têm cerca de 17 mil combatentes e o ELN, uns 5 milhomens armados. Os dois grupos são classificados comoorganizações terrorista pelos Estados Unidos e União Européia.A recém-libertada congressista Consuelo González de Perdomo,que assistiu ao programa de rádio e TV do presidente naVenezuela, elogiou a gestão de Chávez e insistiu que suamediação é fundamental. Chávez disse que os EUA, com os quais se encontra empermanente confronto ideológico, apesar dos fortes vínculoseconômicos entre os dois países, são "os principaisinteressados" em manter o conflito na Colômbia para conservarsua influência e sua presença na América do Sul. (Por Patricia Rondón Espín)

REUTERS

13 de janeiro de 2008 | 18h08

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACHAVEZREBELDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.