Chávez suspende envio de combustível a Honduras

Através do Petrocaribe, petróleo venezuelano era vendido a Honduras sob condições especiais

Efe,

03 de julho de 2009 | 02h08

A Venezuela suspendeu o enviou de petróleo a Honduras que faz parte do acordo da Petrocaribe, como parte das medidas em repúdio ao golpe militar contra o presidente Manuel Zelaya, anunciou nesta sexta-feira, 3, o presidente venezuelano, Hugo Chávez.

 

"Nós suspendemos os envios de petróleo, que não são para Zelaya, é para o povo de Honduras, produto da Petrocaribe", afirmou Chávez em seu programa de rádio e televisão.

 

O líder disse que estava previsto para a "próxima semana" um envio de combustível a Honduras que não acontecerá.

 

A Petrocaribe é uma iniciativa venezuelana para baratear o custo dos combustíveis às empobrecidas economias caribenhas.

 

"Um dos primeiros impactos da medida venezuelana vai ser o aumento dos preços da gasolina em Honduras, o que beneficiará a oligarquia que derrubou Zelaya, porque recuperará seu monopólio no setor", afirmou Chávez.

 

O governante rejeitou ainda que a venda venezuelana de combustíveis a Honduras em condições especiais significava um "apoio financeiro ao governo de Zelaya".

 

"Não é um apoio financeiro a Zelaya, é uma cooperação com países que foram explorados", disse Chávez.

A Venezuela é o quinto maior exportador mundial de petróleo e  quarto principal abastecedor dos Estados Unidos.

 

A Petrocaribe beneficia 17 membros do acordo, que recebem 121 mil barris diários sob o mesmo esquema de cooperação, segundo o governo venezuelano.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasVenezuelaPetrocaribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.