Efe
Efe

Chávez viaja a Cuba para nova cirurgia e promete voltar

Pela primeira vez presidente venezuelano nomeou um eventual sucessor, seu vice Nicolás Maduro

Reuters

10 de dezembro de 2012 | 11h12

CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, embarcou na madrugada desta segunda-feira, 10, para Cuba, onde será operado de emergência após sofrer uma recaída do câncer, que ele reconheceu que pode encerrar seu governo de 14 anos.

Assessores disseram que o líder socialista, de 58 anos, estava otimista, apesar de tudo, ao viajar para ser submetido a uma quarta operação desde meados de 2011 para um câncer na região pélvica não especificado.

"Eu acabei de dar um abraço sincero no comandante Chávez no (aeroporto) Maiquetia", disse seu ex-vice-presidente Elias Jaua. "Eu disse a ele 'vá e volte'", acrescentou Jaua em sua conta no Twitter. "Ele disse: 'É claro que eu volto, Elias'".

Chávez surpreendeu a Venezuela no fim de semana ao anunciar que novas células malignas foram encontradas, apesar de ele ter se declarado completamente curado no início do ano e de ter conquistado a vitória nas eleições presidenciais de outubro.

A partida do presidente no aeroporto de Caracas, noticiada pela emissora de TV Telesur em seu site na internet, aconteceu após uma longa jornada de manifestações públicas em apoio a Chávez, que pela primeira vez nomeou um eventual sucessor: o vice-presidente Nicolás Maduro.

No domingo, a Assembleia Nacional autorizou por unanimidade a saída de Chávez do país para ser submetido, em Havana, a uma nova cirurgia, que o próprio presidente classificou como arriscada. Se o líder socialista não puder cumprir o mandato, está prevista a convocação de eleições.

Chávez concentra em sua própria figura praticamente todo movimento político que governa o país ininterruptamente desde 1998, e fez um pedido a seus seguidores para que votem em Maduro, caso seja obrigado a se afastar do governo.

O aparecimento de células malignas na região pélvica, a mesma onde Chávez já foi operado anteriormente, levou os médicos a decidirem por uma nova cirurgia, cuja data não foi divulgada.

Títulos venezuelanos 

Os títulos globais venezuelanos, entre os mais negociados dos mercados emergentes, subiram na segunda-feira. Elas haviam recuado na sexta-feira, horas depois do retorno surpresa de Chávez de Cuba, onde estava recebendo tratamento médico.

Na segunda-feira, o título venezuelano denominado em dólar com vencimento em 2027 subiu 1,4% no preço, colocando-o a caminho de seu mais forte rali desde quinta-feira.

O título denominado em dólar com vencimento em 2022 teve um aumento de 1,7% no preço, colocando-o a caminho de seu rali mais forte desde 27 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.