Chávez volta a criticar EUA e aconselha reforma constitucional

Presidente já havia passado pela China, Rússia e França. Chávez voltou a falar sobre responsabilidade política

EFE,

27 de setembro de 2008 | 17h35

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, terminou neste sábado em Portugal uma viagem que o levou a China, Rússia e França com críticas ao capitalismo americano, país que culpou pela atual crise financeira e aconselhou a fazer uma reforma constitucional. "É preciso ir à raiz das coisas, porque para mim está muito claro que o fundo do problema está no sistema político nos Estados Unidos, o capitalismo e liberalismo, e a tese pelas mãos livre do mercado, que gerou a ruína", disse antes de embarcar no avião presidencial rumo a Caracas. Chávez voltou a falar também sobre a responsabilidade política dos governantes americanos, e recomendou que o Governo de George W. Bush tome como exemplo o plebiscito deste domingo no Equador sobre o projeto de nova Constituição impulsionado pelo chefe de Estado Rafael Correa. "Se eu fosse americano e tivesse algum poder convocaria ou chamaria a seguir o exemplo do Equador, porque simplesmente os Estados Unidos chegaram a uma linha que, passada, resulta em uma hecatombe", assinalou o presidente venezuelano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.