Chavismo recebe mais votos que oposição, mostra resultado final

Os candidatos do presidente Hugo Chávez conseguiram uma votação ligeiramente superior à da oposição na eleição legislativa do fim de semana na Venezuela, segundo resultados finais e oficiais divulgados nesta quarta-feira.

MARIANNA PARRAGA, REUTERS

29 de setembro de 2010 | 19h16

De acordo com o Conselho Nacional Eleitoral, o Partido Socialista Unido da Venezuela, de Chávez, obteve 5,45 milhões de votos, ou 48,9 por cento do total, contra 5,33 milhões (47,9 por cento) da Mesa da Unidade Democrática, a frente de partidos oposicionistas.

Apesar de o eleitorado ter se dividido quase ao meio, o chavismo conseguiu eleger bem mais deputados --97, dois aquém da maioria qualificada de três quintos necessários caso ele queira solicitar poderes para governar por decreto. A Mesa Democrática elegeu 65 deputados, e partidos menores ficaram com 3 parlamentares.

A oposição voltará à Assembleia Nacional depois de ter boicotado a eleição anterior, em 2005. Mas Chávez disse que isso não obstruirá o seu "socialismo do século 21", e que as reformas serão aceleradas.

Os novos deputados só tomaram posse em 5 de janeiro, e a oposição teme que o governo use o restante da atual legislatura para aprovar projetos sem obstáculos.

Todas as atenções se voltam agora para as eleições presidenciais de 2012, quando Chávez tentará mais um mandato.

Após anos dividida, a oposição agora está mais coesa e espera ter um candidato com apelo nacional, além de desenvolver uma plataforma política que vá além do antichavismo.

Já o presidente, eleito pela primeira vez em 1998, está determinado a dar mais poderes para organizações comunitárias, onde a lealdade a ele parece ser mais assegurada do que na Assembleia.

No último ano, ele nacionalizou mais de 20 bancos e corretoras de valores, e pode estar preparando novas incursões no setor financeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAELEICOESAPURACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.