Chefe das Farc e 16 rebeldes são mortos na Colômbia

Martín Caballero foi um dos mentores do seqüestro do atual chanceler colombiano, Fernando Araújo

Efe,

25 de outubro de 2007 | 12h09

Gustavo Rueda Díaz, conhecido como "Martín Caballero", o mais importante chefe da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (Farc) nos departamentos do litoral atlântico do país, morreu em combate junto com pelo menos outros 16 rebeldes, anunciaram fontes militares nesta quinta-feira, 25.   O rebelde era um dos mais conhecidos guerrilheiros das Farc e um dos mais importantes mentores de seqüestros da organização no litoral norte colombiano, entre eles o do atual chanceler colombiano, Fernando Araújo.   "Caballero", chefe da frente 37 das Forças Armadas de Segurança, foi morto em uma operação da Primeira Brigada da Infantaria em um acampamento do grupo   Fontes militares afirmaram que os rebeldes estavam na região Los Mones de Maria, um acidente geográfico entre os departamentos de Bolívar e Sucre, no norte colombiano.   Os confrontos ocorreram na área rural dos municípios de El Carmen de Bolívar e Zambrano, cerca de 900 quilômetros ao norte de Bogotá, de acordo com as fontes. Martín Caballero era um dos guerrilheiros cuja extradição foi pedida por autoridades dos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.