Chefe das Farc e 18 guerrilheiros se entregam na Colômbia

Autoridades dizem que Wilber Valenzuela era responsável por garantir trabalhos de logística da guerrilha

Efe,

18 de outubro de 2007 | 07h52

O suposto guerrilheiro colombiano e chefe de milícias urbanas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Wilber Valenzuela, conhecido como "W", e 18 de seus homens se entregaram aos programas oficiais de reintegração social, segundo informaram nesta quinta-feira, 18, fontes oficiais colombianas. O alto conselheiro para a Reintegração, Frank Pearl, disse ao jornalistas que os 19 militantes pertenciam à frente de Manuel Cepeda, que atuava no porto de Buenaventura, no sudoeste do país. Segundo as autoridades, o grupo era responsável por "todo o trabalho logístico" para a guerrilha. "É um golpe muito forte para as Farc, mas sobretudo é uma demonstração de que do lado da legalidade temos um processo de reintegração com as portas abertas para as pessoas que querem voltar à vida civil", destacou. Wilber Valenzuela é para as autoridades "um integrante de grande importância na estrutura e nos movimentos" das Farc. De agosto de 2002 até 30 de setembro de 2007, 45.300 militantes se desarmaram no país, sendo 31.671 de forma coletiva, durante o processo de paz com as Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC, paramilitares) e 13.679 individualmente.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.