Chefe de cartel colombiano de drogas se suicida após ser preso

Estados Unidos haviam pedido a extradição de Cabezón, detido em operação contra narcotraficantes

Efe,

16 de junho de 2008 | 10h43

O suposto traficante de drogas Gilmer Humberto Quintero Arias, conhecido como Cabezón, se suicidou no domingo, 15, após ser detido. Considerado um dos chefes do cartel do Norte del Valle, Cabezón tinha a extradição pedida pelos Estados Unidos.   Um comunicado da Inspetoria Geral da polícia afirma que Cabezón foi capturado no sábado em Melgar, departamento de Tolima (sul), depois de operações realizadas contra narcotraficantes. O documento informa que, "quando era levado a Bogotá, na madrugada de domingo, o detido pediu para ir ao banheiro, perante o qual e por razões de segurança foi levado à Estação de polícia de Fusagasugá, onde se suicidou em uma das cabines, com uma arma calibre 25, a qual estava escondida em seu corpo".   Aparentemente, durante a revista pela qual o suposto traficante passou as autoridades não detectaram a arma com a qual supostamente Cabezón se suicidou. Após a morte do criminoso, a polícia pediu à Promotoria para antecipar a autópsia do corpo, enquanto a Inspetoria Geral também realiza suas investigações.   De acordo com o perfil criminoso elaborado pela polícia, Quintero Arias e Luis Enrique Calle Serna, conhecido como "Combatiente", eram os atuais líderes do cartel do Norte del Valle.

Mais conteúdo sobre:
Colômbiatráfico de drogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.