Chefe de missão no Haiti e mais 100 desapareceram, diz ONU

Ban Ki-moon pediu ajuda urgente para as vítimas do terremoto no Haiti; entidade confirma cinco mortes

Efe e Reuters,

13 de janeiro de 2010 | 12h48

O chefe da missão das Nações Unidas no Haiti, Hedi Annabi, e mais de 100 pessoas estão desaparecidas após o terremoto da terça-feira, 12. Ao menos cinco funcionários da missão da ONU no país morreram com o desabamento do prédio da organização causado pelo terremoto.  

 

Veja também:

 link Comunidade internacional se mobiliza para enviar ajuda

linkCruz Vermelha: até 3 milhões foram afetados por tremor

linkBrasil envia US$ 10 milhões em ajuda; Jobim vai ao Haiti

link'É muito cedo para estimar número de mortes', diz diplomata

 

 

O ministro de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, disse que seu embaixador no Haiti informou que o tunisiano teria morrido.

 

Catástrofe

 

Mais cedo, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou  que a comunidade internacional e as Nações Unidas (ONU) enfrentam a maior catástrofe humanitária, com o terremoto no Haiti, sobre o qual disse que causou "centenas" de vítimas.

 

 

"Não há dúvida de que enfrentamos uma grande emergência humanitária e que serão necessários os maiores esforços de assistência" para os haitianos, disse Ban, que pediu "ajuda urgente".

 

VEJA TAMBÉM:
mais imagens  Veja galeria de fotos do terremoto
especial Os piores terremotos na América Latina
especial Os piores terremotos da década
blog Blog: repercussão da tragédia na web
som Representante da OEA fala do tremor
som Sismólogo alerta para novos tremores
lista Leia tudo que já foi publicado

 Ban disse também que entre 100 e 150 pessoas estavam no prédio da ONU no Haiti, que desabou em decorrência do terremoto e confirmou que o chefe da missão da entidade no país, o diplomata tunisiano Hedi Annabi, e seu adjunto estão entre os desaparecidos.

 

Alain Le Roy, chefe da divisão de paz da ONU, disse que vários corpos foram retirados dos escombros do prédio da entidade e que o número de mortos "era menor que cinco". Segundo a fonte, menos de dez pessoas "algumas mortas e outras vivas", foram retiradas, embora mais de 100 permanecem soterradas.

 

Ban informou que enviará o vice de Le Roy, Edmond Mulet, ao país no máximo até a sexta-feira. O chefe da ONU ainda disse que deve ordenar o envio de uma equipe de emergência o mais rápido possível e anunciou a ajuda de US$ 10 milhões para o Haiti.

Tudo o que sabemos sobre:
terremoto no HaititerremotoHaiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.