Chile chama seu embaixador no Peru em protesto contra mapa

O governo chileno retirou nasegunda-feira seu embaixador no Peru, depois de protestarcontra a publicação, no domingo, de um mapa oficial peruano quedefine a fronteira marítima com o Chile e vai contra acordosinternacionas, segundo autoridades chilenas. O Chile acusa o Peru de desconhecer tratados internacionaissobre o assunto no mapa publicado no diário oficial El Peruano,que estabeleceu um limite marítimo em águas que o Chileconsidera suas. A questão da fronteira marítima será submetida ao veredictoda Corte Internacional de Justiça, em Haia. "O Ministério dasRelações Exteriores comunica que o embaixador do Chile no Peru,senhor Cristian Barros Melet, foi chamado a partir desta data",disse uma nota da chancelaria chilena. A área em disputa corresponde a 35 mil quilômetrosquadrados de águas ricas em recursos marinhos no oceanoPacífico. O Chile afirma que sua fronteira marítima com o Peru ficoudelimitada em tratados assinados por ambos países em 1952 e1954, e em sinalizações em terreno realizadas em 1968 e 1969.Lima diz que esses pactos não constituem um acordo de fronteiraformal. As relações entre Chile e Peru já passaram, historicamente,por vários momentos de tensão, desde que o Peru perdeu para oChile parte de seu litoral numa guerra, em 1879. Nos últimos anos, os governos de Chile e Peru vêm sereaproximando, apesar das discussões sobre os limites marítimose devido à estada do ex-presidente peruano Alberto Fujimori noChile. (Por Rodrigo Martínez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.