Chile diz ser improvável encontrar mineiros com vida

A probabilidade de encontrar com vida os 33 mineiros que ficaram presos na semana passada em uma mina no norte do Chile após um desabamento é pequena, disse o governo nesta quinta-feira, enquanto equipes de resgate ainda tentam alcançá-los.

REUTERS

12 de agosto de 2010 | 11h44

Nenhum contato foi feito com os mineiros desde o acidente no dia 5 de agosto. Eles estão a cerca de 7 quilômetros para dentro da mina e centenas de metros abaixo da superfície.

Autoridades esperavam que os mineiros tivessem se refugiado em um abrigo, onde havia escassos suprimentos, mas depois de uma semana as esperanças estão se esvaindo.

"A probabilidade de encontrá-los vivos é pequena", disse o ministro da Mineração, Laurence Golbourne, em entrevista na TV.

"Existe uma suposição sobre onde eles poderiam estar... Eles estão 700 metros abaixo da terra e especialistas dizem não haver meios tecnológicos para verificar se estão vivos."

O presidente Sebastián Piñera demitiu na quarta-feira altas autoridades da agência reguladora do setor de mineração do Chile e prometeu uma grande reforma por causa do acidente na pequena mina de ouro e cobre, próxima à cidade de Copiapo, a 450 quilômetros da capital, Santiago.

Acidentes graves de mineração são raros no Chile, mas o governo disse que a mina de San José, que pertence à empresa privada local Compania Minera San Esteban Primera, já sofreu uma série de acidentes e 16 trabalhadores já morreram no local nos últimos anos.

Equipes de resgate estão tentando localizar os mineiros cavando pequenos buracos para enviar suprimentos enquanto tentam encontrar meios de retirá-los.

Parentes estão acampados nas entradas da mina, rezando.

(Reportagem de Antonio de la Jara)

Tudo o que sabemos sobre:
CHILEMINEIROSACIDENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.