Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Chile pede diálogo 'franco' em reunião do Grupo do Rio

A presidente do Chile, MichelleBachelet, pediu na quinta-feira que a 20a reunião do Grupo doRio, que ocorrerá na sexta em Santo Domingo, seja um espaçocrucial para um diálogo franco que alivie as tensões da disputadiplomática entre Equador, Colômbia e Venezuela. Bachelet e outros governantes da região conversaram nosúltimos dias para buscar uma solução para o conflito, e aOrganização dos Estados Americanos (OEA) rejeitou a incursãomilitar da Colômbia no Equador, na qual morreu o segundo homemno comando das Farc, Raúl Reyes. "Na reunião do Grupo do Rio, esperamos ter uma conversamuito franca com todos os presidentes para ver como somoscapazes de (...) buscar e garantir a paz", disse Bachelet emreunião com correspondentes estrangeiros. Ainda que a agenda original do Grupo do Rio inclua temascomo energia, desastres naturais e migração, Bachelet admitiuque é muito provável que estes assuntos não sejam a prioridade,dada a tensão entre os países em conflito. "Acreditamos que esta é uma região que, depois de tantosanos, conseguiu fazer as coisas muito bem e tem crescido (...)estamos convencidos de que, em um contexto de paz, isso podecontinuar acontecendo", disse a presidente chilena. Os presidentes Alvaro Uribe, da Colômbia, e Rafael Correa,do Equador, confirmaram presença no encontro, dias depois deQuito ter rompido relações diplomáticas com Bogotá, em oposiçãoà entrada das Forças Armadas colombianas no territórioequatoriano para bombardear um acampamento das Farc. O presidente venezuelano Hugo Chávez, que também estará nareunião, reforçou a presença militar na fronteira com aColômbia, além de retirar todos os funcionários da embaixadacolombiana em Caracas. Bachelet disse que eles devem buscar mecanismos para queesse tipo de situação dramática não aconteça mais. (Reportagem de Antonio de la Jara)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.