Chile terá sete grandes reformas em 2011, diz presidente

O presidente chileno, Sebastián Piñera, vai lançar sete grandes reformas no próximo ano, apesar dos riscos políticos no curto prazo, afirmou o líder de centro-direita em entrevista publicada neste domingo.

REUTERS

26 de dezembro de 2010 | 14h25

Piñera afirmou ao jornal El Mercurio que seu governo fará uma revisão geral em educação, saúde, sistema político e leis ambientais, e também vai criar meios para modernizar o Estado e combater a criminalidade e a pobreza.

"Sem uma reforma real, nada que resolva o problema é recebido com abraços e brindes de champagne... Eu sei que a realização de sete reformas em 2011 pode prejudicar a nossa popularidade no curto prazo", disse o presidente, antecipando conflitos com sindicatos.

"Eu estou convencido, contudo, que estas reformas são absolutamente indispensáveis", acrescentou.

Questionado se planeja fazer mudanças no seu gabinete de ministros, ele disse ainda que isso não é algo para ser anunciado antes do tempo, e que estava satisfeito com o trabalho dos seus ministros em um ano marcado pelo devastador terremoto de 27 de fevereiro.

"Eu espero ter um gabinete muito estável. O ideal seria ter um mesmo grupo de colaboradores durante todo o mandato", disse o presidente.

(Reportagem de Antonio de la Jara)

Tudo o que sabemos sobre:
CHILEREFORMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.