Chilena é presa por fazer stripteases no metrô de Santiago

Uma mulher que fazia striptease coladaa balaústres do metrô de Santiago para desafiar o puritanismoda sociedade chilena foi presa nesta quinta-feira durante umade suas rápidas performances. Monserrat Morilles, de 26 anos, surpreendeu os passageirosdo metrô durante toda a semana tirando sua roupa, ficandoapenas com uma econômica roupa íntima, sem aceitar gorjetas. Ela disse que estava protestando pela falta de tolerânciado Chile, uma das sociedades mais conservadoras da AméricaLatina, onde a primeira geração desde a ditadura de Pinochetestá atingindo a idade adulta. "Isto é apenas o começo. Nós estamos começando uma idéiaaqui que irá crescer e se desenvolver", ela disse à Reutersenquanto era escoltada por policiais e guardas do metrô. A dançarina profissional trabalhou rapidamente durante todaa semana para evitar ser presa, entrando em uma estação eprocurando um vagão sem crianças para tirar a roupa a tempo desair na parada seguinte. A mídia chilena a apelidou de "A Deusa do Metrô". A própriaafirmou que suas performances foram "minutos alegres". "O Chile ainda é um país bastante tímido", disse ela ao seutécnico, Gustavo Pradenas. "As pessoas não são muitoextrovertidas e nós queremos mirar isso e transformar o Chileem um país mais alegre."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.