EFE
EFE

Choque de trens no México deixa 80 feridos

Trem Suburbano da Zona Metropolitana foi construído e operado pela espanhola CAF, e funciona desde julho

EFE,

19 de abril de 2009 | 02h10

O choque de dois trens na área metropolitana da Cidade do México deixou este sábado pelo menos 80 feridos e 16 pessoas presas, além de semear o caos na região, informaram neste domingo fontes oficiais.

 

O secretário de Defesa Civil da capital mexicana, Elías Miguel Moreno, disse à Agência Efe que a situação no lugar do acidente, que aconteceu às 22h20 (Oh20 de Brasília deste domingo), "é bastante complicada", pois há "muito caos, muita desordem", embora as versões sejam ainda confusas.

 

Moreno assegurou que até o momento não há nenhum morto e estimou o número de feridos entre 80 e 100, dos quais seis foram levados a hospitais embora nenhum em estado grave.

 

O funcionário disse que o choque foi frontal, embora uma emissora de rádio tenha informado desde o local que o impacto foi diferente e que deixou 83 feridos, entre eles 30 em estado grave que foram levados a hospitais da região.

 

Aparentemente foram resgatadas no total 170 pessoas dos vagões da parte acidentada, muitas delas ilesas embora com crise nervosas.

 

Por sua parte, o porta-voz da Cruz Vermelha no bairro de Polanco da capital mexicana, Ernesto González, disse que até o momento foram contabilizados 70 feridos.

 

González disse, no entanto, que o choque aconteceu dentro de um túnel, de onde o pessoal de Cruz Vermelha está evacuando os feridos para os hospitais próximos.

 

"Até o momento o pessoal que está trabalhando não reportou mortos", assegurou González.

 

O choque aconteceu perto de Tlanepantla, na estação de San Rafael, localizada no Estado do México, limite com a capital mexicana.

 

O Trem Suburbano da Zona Metropolitana, construído e operado pela espanhola CAF, e que funciona desde julho do ano passado, cobre um trecho de 27 quilômetros desde Buenavista, na capital mexicana, até Cuautitlán, no vizinho Estado do México.

 

Uma das vítimas do acidente, que se identificou como Victor Pérez, disse à rádio que o trem parou duas vezes durante 15 minutos e na segunda ocasião foi golpeado por outra composição.

Tudo o que sabemos sobre:
TREMACIDENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.