Chuvas no Equador deixam pelo menos 62 mortos

Nove estão desaparecidos e mais de 90 mil famílias foram afetadas pelas inundações desde o começo do ano

Efe,

07 de maio de 2008 | 19h17

Pelo menos 62 pessoas morreram, nove estão desaparecidas e 90.310 famílias foram afetadas pelas inundações e enchentes resultantes das fortes chuvas que caem sobre o Equador desde o começo do ano, informou nesta quarta-feira, 7, a Defesa Civil equatoriana.   O mais recente relatório da Defesa Civil indica que 12.490 famílias foram removidas, 3.298 estão em abrigos temporários, enquanto 22.450 casas foram afetadas pelas chuvas intensas e 401 estão totalmente destruídas.   O relatório acrescentou que 185 vias foram afetadas pelas inundações e enchentes e que 41 estradas estão destruídas. Segundo o documento oficial, 166.174 hectares de plantações foram afetados pelas chuvas e outros 150.956 estão completamente destruídos.   As chuvas, consideradas pelas autoridades equatorianas como as maiores dos últimos dez anos, afetaram em maior medida a região litorânea, mas também foram registrados grandes danos em várias províncias da serra andina.   Apesar de as chuvas terem diminuído, há dias em que estas provocam severos deslizamentos de terras em diferentes partes do país.   Autoridades do governo equatoriano calculam que terão que gastar US$ 1 bilhão para reparar os danos em infra-estruturas e para ajudar os desabrigados a retomar suas atividades produtivas.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorQuitochuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.