Chuvas no leste de Cuba destroem casas, estradas e plantações

Intensas chuvas no leste de Cubaderrubaram 1.000 casas, bloquearam 50 por cento das estradasrurais e destruíram plantações de café, informou a imprensaoficial na segunda-feira. O transbordamento de um rio isolou o município de RíoCauto, na província de Granma, onde mais de 3.000 residênciasficaram debaixo de água. Cerca de 40 mil pessoas foram retiradas do leste de Cuba,metade delas de Río Cauto. "Um intensa luta acontece na província de Granma, nosudeste de Cuba, para salvar milhares de pessoas ameaçadaspelas inundações sem precedentes", disse a agência estatal denotícias AIN. O vice-presidente cubano, Carlos Lage, percorreu as regiõesafetadas e advertiu que o "colapso" de cerca de 50 por cento deestradas rurais poderia afetar a produção agrícola, em especialo cultivo de cana-de-açúcar. As chuvas, que começaram em outubro e ganharam força com apassagem da tempestade tropical Noel na semana passada, são asmais intensas desde 1963, disseram as autoridades. A água afetou cerca de 20 mil casas e derrubou outras 1.000no leste de Cuba, indicou Lage, citado pelo jornal Granma,diário do Partido Comunista. Em Santiago de Cuba as plantações de café foram arrasadas. As chuvas prejudicaram também a zona de Moa, na provínciade Holguín, onde fica a indústria de níquel, principal produtobásico da ilha. Não havia informações de interrupções daextração do mineral. (Por Esteban Israel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.