CIDH confirma abusos da Polícia em Honduras

A comissão tem provas de detenções arbitrárias e controle da informação visando a limitar a participação política de alguns setores na crise vivida em Honduras

EFE

22 de agosto de 2009 | 02h22

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) disse nesta sexta-feira ter confirmado a existência de um padrão de "uso desproporcional" da Polícia, detenções arbitrárias e controle da informação visando a limitar a participação política de alguns setores na crise vivida em Honduras.

 

No relatório que encerrou sua visita de uma semana a Honduras, a missão da CIDH assegurou ter visto uma repressão das manifestações com batidas militares e a aplicação arbitrária de toques de recolher.

 

A CIDH destacou também detenções de milhares de pessoas, tratamentos "cruéis, desumanos e degradantes", além das péssimas condições de reclusão.

 

A comissão também indicou que "pôde constatar que a ruptura da ordem constitucional originada pelo golpe de Estado está acompanhada de uma forte presença militar em diferentes âmbitos da vida civil".

 

Igualmente, fez referência "à suspensão de garantias a partir da implantação de um toque de recolher que não cumpre os padrões do direito internacional" e falou de "irregularidades na eficácia dos recursos judiciais para salvaguardar os direitos essenciais das pessoas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.