Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

CIDH manifesta preocupação com liberdade de expressão na Venezuela

Organização afirmou que prisão do dono da Globovisión pode ser motivada por posição política de Zuloaga

AP,

14 de junho de 2010 | 18h42

WASHINGTON- A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) enviou nesta segunda-feira, 14, uma missiva ao chanceler venezuelano para manifestar a preocupação da organização com a "deterioração da situação do direito à liberdade de expressão" no país sulamericano.

 

O comissário para assuntos da Venezuela, Paulo Sergio Pinheiro, e a relatora especial para a liberdade de expressão, Catalina Botero, mencionaram eu sua carta a Nicolás Maduro a ordem de prisão contra o proprietário do canal Globovisión, Guillermo Zuloaga, acusado de usura e associação criminosa por armazenar 24 veículos em sua residência, segundo um comunicado de imprensa emitido na segunda.

 

"A perseguição penal por crimes não vinculados ao exercício da liberdade de expressão pode configurar uma violação desse direito se for demonstrado que a investigação está motivada pela posição política do imputado, ou pelo exercício de seu direito à liberdade de expressão", diz o comunicado.

 

Os procuradores anunciaram a ordem de prisão na sexta, uma semana depois de o presidente Hugo Chávez ter se lamentado publicamente de que Zuloaga continuava livre frente ao julgamento que o espera. As tentavivas para prender o empresário suscitaram condenações de dirigentes da oposição e de grupos defensores da liberdade de imprensa. Atualmente, o paradeiro de Zuloaga é desconhecido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.