Cinco empregados e empresa dos EUA são sequestrados na Colômbia

Cinco empregados da petroleira norte-americana Occidental foram sequestrados em uma região de selva no leste da Colômbia por homens armados, informaram as autoridades neste sábado.

NELSON BOCANEGRA, REUTERS

30 de julho de 2011 | 17h11

Um porta-voz da Occidental disse à Reuters que os funcionários sequestrados trabalhavam no campo Caricare, que produziu uma média de 12 mil barris de petróleo por dia no ano passado.

O incidente, o mais recente envolvendo trabalhadores do setor petrolífero, ocorrido na noite de sexta-feira, reflete os riscos que enfrenta o setor, em pleno auge no país andino, devido ao conflito interno armado.

Os empreiteiros se deslocavam em um veículo 4x4 por uma estrada nas imediações de um poço de petróleo no departamento de Arauca quando dois homens vestidos à paisana e portando armas de pequeno calibre os interceptaram e os levaram, disse o general Jaime Reyes, comandante da Décima oitava Brigada do Exército.

Um porta-voz militar se absteve de detalhar a que grupo pertencem os sequestradores. A região tem a presença de guerrilheiros das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e do ELN (Exército de Liberação Nacional).

A Colômbia é a quarta maior produtora latino-americana de petróleo cru no momento em que os setores de minério e petróleo se retiram em busca de melhores condições de segurança que permitiram a incursão de numerosas multinacionais para explorar seu potencial.

Três chineses da petroleira Emerald Energy e um tradutor continuam nas mãos de guerrilheiros das FARC desde o começo de junho após também serem interceptados em uma estrada no sul do país.

Em março, 23 trabalhadores do setor foram sequestrados por várias horas pela guerrilha, que os soltou por pressão das forças militares.

Nos últimos meses a guerrilha retomou seus ataques contra a infraestrutura petroleira, como os oleodutos pelos quais se transporta o petróleo cru das zonas de produção até os portos de exportação.

Embora os rebeldes suportem uma ofensiva militar que os mantêm em zonas montanhosas e de selva remotas, ainda conservam a capacidade de realizar ataques de grande impacto nas regiões onde têm presença, incluindo centros urbanos.

A produção de petróleo cru da Colômbia alcançou 785 mil barris diários em média em 2010, e para este ano espera elevá-la entre 950 mil e um milhão de barris.

(Reportagem adicional de Jack Kimball)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIASEQUESTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.