Colômbia admite uso proibido de logo da Cruz Vermelha em resgate

A Colômbia admitiu na quarta-feira queusou o símbolo do Comitê Internacional da Cruz Vermelha naoperação militar que resgatou a franco-colombiana IngridBetancourt, o que é proibido. "Lamentamos que isso tenha ocorrido", disse o presidenteAlvaro Uribe em um discurso, depois que reportagens denunciaramque as vestes e as camisas usadas pelas autoridades deinteligência da Colômbia tinham o emblema. "O ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, e os altoscomandos se reuniram nesta manhã com o representante do ComitêInternacional da Cruz Vermelha para dar as explicações e pedirdesculpas", acrescentou Uribe. O uso do emblema da Cruz Vermelha por militares é proibidopelas Convenções de Genebra, já que pode colocar os agenteshumanitários em risco e arruinar a neutralidade da CruzVermelha. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.