Colômbia busca ante ONU frear especulação com produtos básicos

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anunciou neste sábado que conjuntamente com seu colega na República Dominicana, Leonel Fernández, cobrarão a adoção de uma resolução das Nações Unidas que permita regular o mercado de produtos básicos e combater a especulação.

REUTERS

24 Setembro 2011 | 17h40

Santos disse estar preocupado com a falta de regulação adequada sobre as bolsas de commodities, o que tem facilitado "a presença de capital especulativo" no mercado.

"Vamos apresentar uma resolução nas Nações Unidas recomendando uma série de parâmetros em matéria de regulação dos mercados de commodities", disse Santos, que se reuniu com Fernández na quarta-feira, em Nova York.

Durante um ato do governo em Medellín, o presidente colombiano afirmou que ao se analisar a evolução das ações nas bolsas de alimentos, é possível notar que a presença de especuladores de produtos básicos tem crescido.

Santos disse que é necessário tirar a volatilidade desses mercados no mundo e limitar a participação de especuladores nas bolsas, tornando as operações mais transparentes.

"Hoje em dia, o mercado financeiro tem regulamentações muito estritas, mas o mercado de produtos básicos praticamente não tem nenhum tipo de vigilância", afirmou.

Santos disse que o assunto tem sido discutido no G-20, onde o presidente da França, Nicolás Sarkozy, manifestou seu interesse em buscar soluções, o que motivou a apresentação da resolução à ONU.

O presidente colombiano afirmou que as recomendações para se fixar parâmetros de regulação do mercado de produtos básicos facilitarão as operações internacionais nas bolsas.

(Por Luis Jaime Acosta)

Mais conteúdo sobre:
COLOMBIAONUESPECULACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.