Colômbia considera ameaça externa pela 1ª vez em décadas

Ministro da Defesa do país referiu-se à Venezuela, país com o qual quer evitar guerras 'a todo custo'

estadao.com.br,

27 Novembro 2009 | 15h33

O ministro da Defesa da Colômbia, Gabriel Silva, admitiu nesta sexta-feira, 27, que pela primeira vez em décadas o titular da pasta considerou preparar o país contra uma possível ameaça externa, em referência à Venezuela, nação vizinha com a qual "quer evitar um confronto", conforme informou a agência AFP.

 

"Pela primeira vez em décadas, um ministro pensa em como se preparar para uma ameaça externa", disse Silva em declarações a Rádio Caracol de Bogotá. O Ministro advertiu, porém, que não quer que a Colômbia "desvie do objetivo estratégico central que é derrotar o narcoterrorismo" e que "não se pode dedicar energias, recursos e pessoal em impasses internacionais criados por uma retórica inaceitável".

 

Silva também foi enfático ao destacar que "os vizinhos estão condenados a se entender" e lembrou que o presidente colombiano, Álvaro Uribe, manifestou recentemente que "jamais usaria as palavras 'guerra' e 'confrontação' com a Venezuela".

 

"A obrigação número um do Ministério da Defesa é evitar a guerra a todo custo. E a segunda, que se alguém declará-la contra a Colômbia, será enfrentado e vencido. Mas estamos na primeira, que é evitar a todo custo uma confrontação", reiterou o ministro.

Mais conteúdo sobre:
Venezuela Colômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.