Fernando Vergara/AP
Fernando Vergara/AP

Colômbia decretará emergência social na fronteira com Venezuela

Medida visa ajudar milhares de pessoas atingidas pela crise diplomática entre ambos os países

Reuters,

27 de julho de 2010 | 22h37

BOGOTÁ- A Colômbia informou nesta terça-feira, 27, que decretará estado de emergência social na região fronteiriça com a Venezuela. O governo emitirá medidas de caráter extraordinário para ajudar milhares de pessoas atingidas pela crise diplomática entre ambos os países.

 

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, disse a jornalistas que irá reunir seus ministros para decretar a eliminação temporária da cobrança do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) sobre produtos têxteis, de vestuário e calçados.

 

O estado de emergência social pretende beneficiar especialmente o departamento de Norte de Santander, o mais habitado na região fronteiriça, assim como os de Guajira e Arauca.

 

Uribe disse que suavizará os requisitos para constituir zonas francas, ou seja, áreas nas quais empresários podem fundar empresas e se beneficiar do pagamento de impostos muito mais reduzidos que no resto do país.

 

"Tenho fé, gostaria de antecipar a vocês, o governo está trabalhando desde a semana passada e acho que está tudo pronto para decretá-lo", disse o mandatário.

 

A Venezuela rompeu na semana passada as relações diplomáticas com a Colômbia em reação à denuncia de Bogotá de que Caracas estaria abrigando 1.500 guerrilheiros em seu território, com a aparente tolerância do governo do presidente Hugo Chávez.

 

Veja também:

linkVenezuela nega ter reforçado presença militar na fronteira com a Colômbia

linkÁlvaro Uribe rejeita proposta de paz com guerrilhas colombianas

linkColômbia participará da reunião da Unasul sobre crise com Venezuela

linkArgentina e Colômbia concordam em trabalhar pela região

linkArgentina se consolida como mediadora do conflito

mais imagens Galeria: provas mostradas pela Colômbia na OEA

lista Histórico de tensões entre os dois países

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.